terça-feira, 17 de junho de 2014

Está tendo MUITA Copa!

Eu, como amante apaixonada desse mito chamado Futebol, amo a Copa do Mundo desde que me
entendo por gente. Ver as melhores seleções do mundo, com seus melhores jogadores, suas torcidas é sensacional para muita gente, até para quem não torce ao longo do ano por times... Imagina para nós, torcedores fanáticos e apaixonados por esse esporte.
Ademais, a Copa do mundo tem um cunho social que muitos querem ignorar. Durante a Copa, temos uma união global entre países e pessoas de todos os "tipos" - parece que é quando as pessoas realmente esquecem suas diferenças aparentes (porque, na verdade, somos todos iguais) e se misturam, se divertem, se unem para ver a bola rolando... E nessa disputa não tem política, não tem economia, não tem força nenhuma dos países maiores... Mas prevalece o bom futebol, o mais técnico, o mais raçudo, o que fizer gol, ganhar e decidir - mesmo que não nos pareça justo o resultado (aaaahh, o futebol)...
E, claro, temos a rivalidade, um dos motores que move essa paixão pelo futebol, mas, na Copa, ela se dá normalmente de forma bem saudável e até divertida. É um espetáculo único, apaixonante, e os que não querem se render ao mesmo não sabem o que estão perdendo...
A Copa, por "fora", é cercada de corrupção e falhas? Sim, como quase TUDO que aturamos em nosso dia-a-dia - sejam as coisas chatas ou as boas. Mas a Copa, ali no campo, a bola rolando, está alheia a esses problemas e pode (deve) ser devidamente apreciada. Nós merecemos tamanho espetáculo.
Curtir a Copa não tem NADA A VER com ser alheio aos problemas do país. Até porque os problemas sempre existiram, mas uma pequena parcela da população resolveu agora culpar "a Copa" por tudo que sempre existiu ou deixou de existir... Ou antes da Copa nossos hospitais eram bons, o transporte maravilhoso e a educação exemplar?!
Não!! O país precisa de muitas mudanças, que devem partir de cada um e de todos juntos. E isso não é apenas nas urnas - apesar do voto consciente, pesquisado e livre ser essencial. Mas a fiscalização de nossos representantes, a cobrança de atitudes, a educação em casa, a força de vontade para vencer as dificuldades, a coragem para lutar, a ética interior, a compaixão e o amor (bases de tudo, diga-se) são essenciais para qualquer base de mudança.
Então, antes de criticar hipocritamente as pessoas que estão curtindo - porque têm esse direito - esse espetáculo mundial, julgando-as sem saber NADA de suas vidas, as pessoas têm que procurar fazer a sua parte. Gosta de futebol? Assista e continue cumprindo seu papel de cidadão, são coisas independentes. Não gosta? Desligue a tv e vá ler um livro, ou aproveitar o tempo livre como lhe fizer bem...
Fico muito feliz que, nesses primeiros dias de Copa, a NOSSA COPA esteja sendo alvo de muitos elogios... E isso não em razão de nossos políticos - que, na verdade, deixaram a desejar com as promessas de infraestrutura e etc - mas em razão do nosso povo, da nossa torcida, da nossa hospitalidade... Não é só dos "seres políticos" que vive um país - o povo é o país, e temos que fazer o nosso papel e exigir que os nossos representantes façam o deles, para que tudo possa funcionar. É utópico? Não, só não é fácil... Mas depende da nossa vontade. E temos que continuar fazendo nossa parte, na Copa e fora dela.
Viva a Copa, esse espetáculo lindo! Viva o futebol, esse esporte de união e ascensão social, de igualdade, de diversão, de alegria, e paixão... Enfim, não sei descrever o sentimento que esse esporte consegue despertar nas pessoas. Só sei que é sensacional.
Por fim, AVANTE, Brasil! Eu gosto de muitas seleções, mas, como boa brasileira, torço sempre primeiro pela minha seleção e pelo meu país. Saudações pentacampeãs e rumo ao HEXA!

segunda-feira, 26 de maio de 2014

Dica de leitura: "O lado bom da vida"


A maioria já deve ter visto o filme. Sei que muitos já leram o livro também, mas não posso deixar de recomendar essa leitura - apesar de já ter um tempo que li, acho que foi no início desse ano. Enfim, para quem não leu e está atrás de um bom livro, super recomendo este.

A obra de Matthew Quick encantou a todos e não foi por menos. O livro é uma delícia. É aquele tipo que te prende, te encanta, faz você se apaixonar pelo personagem principal e querer acompanhá-lo.

A história de Pat Peoples é divertida, emocionante e inspiradora. Como ele perdeu a memória, vamos entendendo e reconstituindo junto com ele aos poucos o que aconteceu para entender sua realidade. Pat é fofo, cheio de esperança e bondade, mas não sabe porque tem que enfrentar certas coisas - e, mesmo assim, segue em busca de sua felicidade, cheio de princípios e esperança.

A história é linda, deixa uma mensagem ainda mais linda. De luta, esperança, amor, paciência, amizade... E de que nada acontece por a caso. Deve-se tirar uma lição boa de tudo, mesmo das coisas aparentemente ruins.

Fica aí a dica para quem ainda está perdendo essa história. E, claro: o livro é SEMPRE melhor que o filme. No livro, pode-se conhecer a fundo os personagens, viver junto com eles e entendê-los perfeitamente. Portanto, deve-se começar pela leitura, para depois apenas ilustrar a história que já temos em mente perfeitinha. Eu até verei o filme quando ele passar, mas o que me satisfaz é o livro. E esse é sensacional. Não entendo quem prefere filmes, mas, ok, gosto é gosto. Apenas não percam a chance de apreciar essa obra fantástica.

Quem já leu/viu, também se apaixonou?!

quinta-feira, 15 de maio de 2014

VAI TER COPA, SIM!

Quando anunciaram a Copa aqui, festa! Durante todos os anosss de preparação com tudo errado, silêncio. Agora que o dinheiro já foi e o mega evento mundial está prestes a acontecer, "não vai ter copa"! Ah tá!! Cada povo tem o que merece mesmo...
Conhecer a composição, as pautas, a rotina do executivo e, principalmente, do legislativo ninguém quer... Chato, né?! Só depois que está feito E na mídia que querem fazer barulho! Menos choro e mais ação, please!

"Brasil" somos todos nós... É o povo que elege pessoas do povo para representá-lo - e reelege, mesmo quando o governo é PÉSSIMO -, é o povo que joga lixo na rua e, quando viaja, acha os outros lugares limpos, é o povo que quer dar "jeitinho" para tudo, e reclama de corrupção, é o povo que sequer sabe a função do poder legislativo, o povo que desconhece a Constituição e seus próprios direitos... ENFIM... QUEM pode mudar isso?! Nós, esse povo mesmo.

Já que nos comprometemos com um evento MUNDIAL e gastamos uma grana para isso, o MÍNIMO é tentar fazer dar certo! Depois enchem a boca para falar "no Brasil nada dá certo"... Por que, né?! Votam errado ou de qualquer jeito, não fiscalizam, não cobram... E depois querem aparecer! Paciência zero para pseudo revolucionário alienado que dorme enquanto o país não anda...  Beijos!

terça-feira, 6 de maio de 2014

Direitos humanos para humanos

A expressão "direitos humanos" virou sinônimo de ser um chato modinha 'defensor de bandido'.
A verdade é que as pessoas estão andando para trás. Justiça com as próprias mãos?! Tortura e assassinato em praça pública?? O que é isso, gente?! Cada vez mais as pessoas me assustam.
Esses alienados têm noção do que foi e significa a luta pelos direitos humanos (pensem no sentido literal)? E mais: quem são esses seres superiores que se acham no poder de julgar os outros?!
Querer o mal - seja para quem for - é fazer o mal igualmente. O que se ganha com isso? Não acho que ninguém se sinta bem desejando o mal...
Precisamos é de solidariedade, amor e compaixão. Ainda bem que ainda tem quem concorde... Mas nesse ritmo contrário, iremos rumo ao caos... Triste e preocupante. #prontofalei

sábado, 5 de outubro de 2013

Parabéns para você! 25 anos da Constituição.

Hoje nossa linda Constituição faz 25 anos. Aniversário da data do marco mais importante do Brasil - a redemocratização.
Claro que seu texto não é perfeito, contém brechas e normas que não são materialmente constitucionais, o que nossos legisladores ainda insistem em aumentar. Mas é nossa melhor Constituição, de toda a história do país. E inaugurou, de fato, um Estado novo e melhor - que segue se aprimorando.
 

A Constituição de 1988 é linda. Quase todos os juristas e afins são apaixonados por ela, e não é a toa. Mas ela ainda precisa ser melhor respeitada na prática. Principalmente se considerarmos que ainda há muitos grupos excluídos do básico, do mínimo.  E isso não pode ser aceito.

Com o reconhecimento da eficácia e hierarquia superior das normas constitucionais, o fortalecimento dos valores fundamentais e sua aplicação horizontal, vemos cada vez mais a Justiça no caso concreto - e isso também se deve ao fortalecimento da atuação do Judiciário.
 
Para cobrar direitos e seu cumprimento, é preciso conhecê-los. Cada cidadão deveria pelo menos ter ideia dos direitos fundamentais que a Carta lhe confere, para exigir respeito por parte do Estado e dos cidadãos.
 
Juntos podemos trabalhar para que nossa querida Constituição seja aplicada efetivamente e para todos, contribuindo para o Estado de direito, a democracia e a Justiça. A mudança geral que se pretende no país depende da atuação de todos nós. E é preciso mais solidariedade para o alcance da justiça concreta.
 
Os direitos e deveres já estão todos ali. Basta praticar a sua parte, respeitar a alheia e exigir seu cumprimento por todos - Estado e cidadãos. E acreditar na Constituição.